http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Stock Car: Serrinha e Campos vencem; curitibano quebra escrita e assume a ponta do campeonato

As corridas de número 50 e 51 da história do Circuito Schin Stock Car no Autódromo Internacional de Curitiba foram de fato especiais e marcantes tanto pelas disputas como pelos feitos alcançados. Primeiro, por Daniel Serra, que largou da sexta posição para vencer a primeira prova, justamente a de número 50 da categoria no circuito, e também por Júlio Campos, que quebrou uma escrita ao ganhar a corrida 2, tornando-se o primeiro curitibano na história da Stock Car a vencer uma corrida da maior categoria do automobilismo brasileiro no autódromo de sua cidade.
254405_506713_dub_8900
De quebra, o piloto da Prati-donaduzzi ainda viu o então líder do campeonato Cacá Bueno cair de terceiro para quinto na prova, o que deu ao curitibano a liderança do campeonato pela margem mínima de um ponto. Rubens Barrichello também fez duas provas consistentes ao terminar em nono e segundo lugar, respectivamente, foi ao pódio pela primeira vez no ano e subiu ao terceiro posto na tabela do campeonato com 76 pontos, 11 atrás de Campos e a dez de Cacá. Outros dois destaques da prova foram Popó Bueno, que mostrou grande poder de recuperação para terminar em terceiro na prova 2, assim como Lucas Foresti, que se envolveu no acidente da primeira prova e ainda conseguiu cruzar a linha de chegada em quarto na corrida complementar.

“Consegui fazer uma boa largada e subi para segundo na primeira volta. O carro estava muito rápido e fizemos uma estratégia pensando em fazer bem as duas corridas. Na segunda, o carro entrou em modo de segurança (quando o motor passa de uma certa temperatura) e fui obrigado a abandonar. É uma pena, porque a gente tinha tudo para marcar um bom número de pontos. Era para termos tirado uma boa diferença para o líder”, comentou Daniel Serra, que assumiu a quinta posição no campeonato com 60 pontos, empatado com Thiago Camilo, mas à frente pelo critério de desempate que é o número de vitórias (2 a 0).

O primeiro curitibano a vencer na Stock Car em Curitiba demonstra grande regularidade na temporada – fez dois pódios no Velopark, onde foi o primeiro a conquistar tal feito no formato de rodadas duplas do Circuito Schin – e mantém o foco na disputa pelo título. “Estou muito feliz. Larguei em 20o por conta de um erro meu no treino classificatório. Sabíamos que tínhamos um bom carro. Foi uma pena aquele erro, que acabou tirando a gente de, talvez, um sexto ou oitavo lugar, mas por outro lado evitou que eu estivesse naquele bolo que acabou batendo na largada. Estou muito feliz por ter dado tudo certo. E graças a Deus a gente conseguiu entregar o que a gente precisava”, comentou o líder. “Quanto ao campeonato, a nossa primeira ideia não era brigar por apenas uma vitória, mas sim fazer duas boas corridas e somar o maior número de pontos. Comecei a poupar o carro já na primeira corrida, sabendo que seria difícil terminar a segunda”, explicou.

Corrida 1
O público lotou as arquibancadas e camarotes do Autódromo Internacional de Curitiba, e a largada da primeira corrida, de 35 voltas, teve Allam Khodair rodando na freada para a curva 1 e desencadeando uma série de batidas que tirou seis carros logo de cara. O pole Galid Osman permaneceu na liderança e quando o safety car saiu da pista para a relargada, Daniel Serra tomou o segundo lugar de Thiago Camilo, que também passou a sofrer pressão por parte de Marcos Gomes.

Na quinta volta, o piloto da Red Bull assumiu a ponta e abriu margem de pouco mais de um segundo enquanto Gomes, Galid, Camilo e Antonio Pizzonia disputavam posição logo atrás. Quando foi aberta a janela de pit stops, Gomes entrou antes de Serra para tentar assumir a liderança quando o adversário fizesse sua parada. Não deu certo, mas o piloto da Voxx Racing se aproximou bastante do filho de Chico Serra.

Pouco atrás, Rubens Barrichello e Valdeno Brito protagonizavam boa briga pelo nono lugar, com vantagem para o atual campeão, que conseguiu a ultrapassagem. Destaque para Julio Campos, que saiu da 20ª posição na largada para cruzar a linha de chegada em oitavo. Na bandeirada, Daniel Serra, Marcos Gomes, Thiago Camilo, Antonio Pizzonia, Galid Osman, Rafa Matos, Cacá Bueno, Julio Campos, Rubens Barrichello e Valdeno Brito fecharam as dez primeiras posições que largariam em ordem inversa na prova seguinte.

Corrida 2
Julio Campos não quis perder tempo na segunda corrida e já na largada tomou a segunda posição de Rubens Barrichello e partiu para o ataque em cima de Valdeno Brito. A ultrapassagem veio já na segunda volta e vários pilotos, preocupados com o consumo de combustível e talvez apostando em alguma entrada do safety car, correram para os boxes para fazer o reabastecimento.

Campos começou a abrir vantagem na frente enquanto Barrichello, Cacá e Rafa Matos formavam uma fila para tentar ultrapassar Valdeno Brito. Só na nona volta é que o paraibano deixou o segundo lugar, quando Matos fez grande ultrapassagem passando de uma vez Barrichello e Brito na curva 1. Dali, o piloto da Shell Racing foi ficando para trás e, com problemas, terminou a uma volta do vencedor, na 18ª posição.
254405_506714_fad_1038
Parecia que seria uma grande corrida para Matos, mas o mineiro da Schin Racing Team abandonou logo depois com problemas no carro. Assim Barrichello assumiu o segundo lugar e partiu para buscar o líder com Thiago Camilo logo atrás. Cacá e Galid também proporcionavam boas disputas, mas os dois pilotos da Ipiranga-RCM começaram a enfrentar problemas, mas ainda conseguiram pontuar com Thiago em 12º e Osman em 14º.

A duas voltas do final parecia que o pódio estava definido com Campos, Barrichello e Bueno. De fato, terminou assim, mas o Bueno que foi ao pódio não era Cacá, que estava em terceiro no final. Ele também parou com um problema no sistema de combustível, abrindo caminho para seu irmão Popó subir ao pódio.

Na premiação aos três primeiros colocados, um momento especial: o estudante Matheus Santos, de 17 anos, recebeu um troféu das mãos dos pilotos no pódio e levou um banho de champanhe na comemoração. O adolescente é atendido pela ONG Make a Wish, e conheceu de perto a rotina de um piloto da Stock Car ao passar o dia nos boxes com Bia Figueiredo.

A próxima etapa do Circuito Schin Stock Car acontece nos dias 27 e 28 de junho em Santa Cruz do Sul (RS).

Dep. de Comunicação Vicar
Fotos: Duda Bairros e Fábio Davini Vicar


754 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.