http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

“Se é para o autódromo ficar abandonado, é melhor que seja fechado”, diz Campos

Campeão e líder do Mercedes-Benz Grand Challenge, piloto de Itapema comemorou em Jacarepaguá três de seus seis títulos brasileiros

A quarta rodada dupla do Mercedes-Benz Grand Challenge terá suas corridas neste fim de semana no Autódromo Internacional Nelson Piquet, no Rio de Janeiro. A sétima etapa, na tarde de sábado (21), e a oitava, na manhã do domingo (22), vão integrar o último evento automobilístico da história do circuito de Jacarepaguá, que terá sua estrutura desativada e dará lugar a instalações projetadas para os Jogos Olímpicos de 2016.

Campeão em 2011 e líder da temporada de 2012 do Mercedes-Benz Grand Challenge, João Campos é um dos pilotos que enumeram participações memoráveis no autódromo de Jacarepaguá. “Não tem como não ficar alheio ao fim do autódromo. Eu tenho seis títulos brasileiros no automobilismo, e foi em Jacarepaguá que conquistei três deles”, lembra o gaúcho, que atualmente representa a cidade catarinense de Itapema, onde reside.

Campos, de 2001 a 2005, conquistou cinco títulos brasileiros na Pick-up Racing. Os de 2002, 2003 e 2004 foram assegurados com resultados nas etapas realizadas no Rio de Janeiro. “Na última vez em que fui campeão lá, a decisão do título foi histórica, foi um campeonato duro, muito difícil, decidido só na última curva da última volta da última corrida, ainda quando o circuito tinha quase cinco quilômetros. Foi um momento memorável”, recorda.

A decisão de título descrita por João Campos deu-se na nona etapa da Pick-up Racing em 2004. Alessandro Da Cas, piloto do Rio, vencia a corrida. O segundo colocado era Nelson Bazzo, que assegurava o título diante da quarta posição de Campos na corrida. Na última curva, Campos buscou o lado direito da pista, engatou segunda marcha, ultrapassou o paranaense Kau Machado e, em terceiro na corrida, conquistou o título com vantagem de um ponto.

“Não é uma curva de segunda marcha, eu nunca tinha usado segunda ali, mas era o que tinha, tive que tomar uma decisão numa fração de segundo e essa decisão me valeu um título brasileiro. Essa é uma das várias lembranças boas que tenho do autódromo de Jacarepaguá”, comenta o piloto, que atua no Mercedes-Benz Grand Challenge pela Sicredi Racing, equipe que tem apoio de Icatu e Mapfre, seguradoras parceiras da Corretora de Seguros Sicredi.

Embora lamente a desativação do autódromo, Campos reconhece que o desfecho da história é inevitável. “Uma cidade como o Rio não pode ficar sem um autódromo, mas se é para ficar abandonado como está, é melhor que seja fechado logo. Desde que a Fórmula 1 e a Fórmula Indy saíram de Jacarepaguá não colocaram um prego, sequer. Dos autódromos que temos à disposição no automobilismo de hoje, o do Rio é o pior, disparado”, aponta.

O líder do Mercedes-Benz Grand Challenge observa que as corridas no Rio acabam sendo as mais dispendiosas para pilotos e equipes. “É cidade turística, então tudo é caro no Rio, o que não seria um problema desde que os pilotos e as equipes tivessem algum tipo de conforto no autódromo. Mas não há conforto nenhum, os banheiros são sujos, um lixo, as instalações são muito precárias, o asfalto é ruim. Enfim, isso é quase passado”, conclui.

A programação de treinos do Mercedes-Benz Grand Challenge no Rio de Janeiro será aberta na sexta-feira (20), com sessões livres marcadas para as 9h35 e as 13h20. No sábado haverá a tomada de tempos classificatória, às 8h40, e a sétima etapa, com largada às 13h10 – a corrida será transmitida ao vivo no site PortalGT.com.br. A corrida de domingo, com largada às 11h, será transmitida ao vivo pela Rede TV!. Cada corrida terá 30 minutos de duração.

Cumpridas seis das 16 corridas previstas no calendário, a classificação do Mercedes-Benz Grand Challenge é a seguinte:

1º) João Campos/Márcio Campos (RS/Sicredi Racing), 98
2º) Fernando Júnior (RS/WRC), 96
3º) Cesare Marrucci (SP/CenterBus-Petrobras), 87
4º) Neto de Nigris (SP/De Nigris-Europamotors), 73
5º) Léo de Nigris (SP/De Nigris-Europamotors), 58
6º) Carlos Kray (RS/RSports), 47
7º) José Fernando Amorim Júnior (SP/Fiolux Motorsport), 45
8º) Beto Rossi (SP/CenterBus-Petrobras), 34
9º) Arnaldo Diniz Filho (SP/Scuderia 111), 33
10º) Rubens Tilkian (SP/Scuderia 111), 33
11º) Sérgio Chamon (SP/Paioli Racing), 28
12º) Michelle de Jesus/Sérgio Martinez (SP/Pink Energy Team), 27
13º) Renato Camargo (SP/De Nigris-Europamotors), 23
14º) Marcos Paioli (SP/Paioli Racing), 21
15º) Peter Gottschalk Júnior (SP/Paioli Racing), 20
16º) Alexandre Papazissis (SP/RSports), 19
17º) Humberto Santos (SP/RSports), 18
18º) Luiz Zappelini/Rafael Zappelini (SC/Rodoerre Racing), 17
19º) Roberto Santos (SP/Della Via Racing), 15
20º) Roberto Maggi (SP/CenterBus-Petrobras), 12
20º) Peter Michael Gottschalk (SP/Paioli Racing), 12

Texto: Grelak Comunicação – (45) 3037-6667
Imagens: Automobilismo em Foco (Fernando Peres Nunes) – (51) 9372-0606 / (51) 9468-0906


2284 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave A Response