http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Pilotos convidados treinam em Interlagos e são apontados como fator decisivo na abertura da Stock

Rafa Matos/Felipe Maluhy e Felipe Lapenna/Chico Serra levaram os carros da equipe Hot Car para a pista e iniciaram os trabalhos para a 1ª etapa da temporada

Um dia de muito trabalho para as 17 equipes e os 66 pilotos e, especialmente importante, para o entrosamento dos pilotos convidados. Assim foi a sexta-feira (21) no autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, São Paulo, onde aconteceram os primeiros treinos livres para a etapa de abertura da temporada 2014 da Stock Car. Uma corrida inédita e diferente na categoria com os pilotos correndo em dupla. Além dos brasileiros, o grid terá pilotos da Espanha, Inglaterra, Holanda, Austrália, Argentina, Itália e Portugal. A participação dos convidados, que vão guiar na segunda parte da corrida, está sendo apontada como fator decisivo.

218368_389586_fotos__7_

A sexta-feira contou com a realização de três treinos livres. Nos dois primeiros, apenas os convidados andaram. No último, titulares e reservas se revezariam, mas a chuva caiu forte e encerrou prematuramente o treino, atrapalhando a programação.

Na equipe Hot Car Competições (Bardahl), as duplas Rafa Matos/Felipe Maluhy e Felipe Lapenna/Chico Serra trabalharam intensamente e conseguiram algumas evoluções nos carros do time comandado por Amadeu Rodrigues.

O tricampeão Chico Serra, que não disputava provas na categoria desde 2009 e será o companheiro de Lapenna no Stock #110, terminou o primeiro treino em 18º (1min41s892) e o segundo em 26º (1min41s443). Já Maluhy, que vai correr ao lado de Matos no carro #2, foi o sexto pela manhã (1min41s131) e encerrou em 10º no treino 2 (1min40s266).

No terceiro treino livre, os titulares assumiram a direção. Lapenna, que estava no grupo 1, conseguiu andar em condições de tempo melhores e foi o oitavo no grupo (1min40s358). Matos só conseguiu completar três voltas, quando a chuva forte cancelou a sessão e o piloto ficou em 10º no molhado (1min52s449).

O melhor tempo do dia foi registrado pela dupla Rubens Barrichello/Augusto Farfus, que fez o tempo de 1min39s612 no terceiro treino.

Neste sábado (22), os pilotos terão mais um treino livre e o classificatório, a partir das 14 horas, ao vivo no SporTV. Os dois pilotos de cada dupla vão pra pista e valerá a média, somando a melhor volta dos dois. No domingo (23), a largada será às 10h30 (ao vivo na TV Globo).

218368_389584_fotos__12_600

“Foi um pouco frustrante pra gente, pois tínhamos um planejamento bem intenso do que queríamos fazer no carro, mas não temos controle sobre a chuva”, comentou Matos. “Temos mais um treino livre amanhã e faremos o máximo possível para acertar o carro para a classificação”, continuou o mineiro, ex-piloto da Fórmula Indy, que ficou satisfeito com o rendimento de Maluhy. “Pelo menos, o Felipe andou bastante e conseguimos dar uma evoluída no carro com o feedback que ele nos deu. Estou confiante de que teremos uma boa receita para o acerto do carro”, acrescentou.

Para Maluhy, o resultado do primeiro treino poderia ter sido ainda melhor. Na segunda sessão, o piloto passou por uma zebra e teve de ir aos boxes para reparos no carro, completando poucas voltas. Mas também fez um balanço positivo do dia e mostrou-se feliz com o entrosamento com o time e com Matos. “Ele é um cara que ganhou tudo o que já disputou e dispensa apresentações. Estar aqui do lado dele é uma satisfação e me sinto muito honrado por ter sido convidado por ele”, destacou o piloto, que competiu na Stock de 2004 a 2012, tem quatro poles e uma vitória na categoria.

Lapenna, que faz sua segunda temporada na Stock, está estreando na equipe Hot Car e elogiou a sintonia com o time. “No primeiro treino, o Chico andou com um pneu intermediário e usamos a sessão para ir acertando o carro. Achamos um equilíbrio legal. E depois passamos um pneu melhor e tinha tudo para evoluir mais. Foi uma pena termos tido um pequeno problema no câmbio, o que fez a gente perder um pouco de tempo de pista. Mas de uma maneira geral, o carro está muito bom e a sintonia com a equipe também”, declarou o paulista.

Já o exigente tricampeão Chico Serra ainda não está satisfeito com a sua performance. “O carro está bom e estamos com tudo em ordem. Tem poucos ajustes para amanhã. Mas, não fiquei muito satisfeito com minha andada, porque eu ainda não estou bem acomodado no carro, não me senti totalmente à vontade, afinal faz cinco anos que parei de andar, e senti muito isso. Não é nem a questão de ter ou não a velocidade, e nem o fato de me adaptar ao carro, é a adaptação minha em si, de voltar a sentar num carro de corrida. Os outros convidados nem devem estar sentindo isso, porque são pilotos da atualidade. Gostaria de treinar mais, só que não vai ser possível”, disse o piloto, que conquistou seus títulos na Stock em 1999, 2000 e 2001.

A lenda viva Chico Serra, voltando a acelerar um Stock depois de cinco anos.

A lenda viva Chico Serra, voltando a acelerar um Stock depois de cinco anos.

“Essa corrida vai ser decidida pelos convidados”

A opinião acima é de muitos pilotos da categoria. Como as diferenças entre os titulares não devem ser tão grandes, os convidados farão a diferença na tocada final.

Na corrida, os titulares largam. Entre as voltas 13 e 16, eles param para a entrada dos convidados. Durante o reabastecimento, que deve demorar aproximadamente 23 segundos, os pilotos já podem realizar a troca. Só ao final do reabastecimento, será permitido trocar os pneus. O processo todo deve durar pouco mais de 40 segundos, que é considerado suficiente para a troca tranquila dos pilotos e pneus.

Na Hot Car, os pilotos treinaram a troca várias vezes. O melhor tempo de Matos e Maluly foi 31 segundos. Serra e Lapenna fizeram em 35 segundos.

“Essa corrida vai ser decidida pelos pilotos convidados, com certeza. Não tem ninguém bobo aqui, todos são experientes e rápidos. Não estão aqui por acaso, mas acredito que dos convidados o Felipe possa se destacar”, comentou Matos. “A gente já alcançou um tempo que estamos confortáveis, quanto ao processo de pit, então acho que vai ser bom”, completou o mineiro.

“A corrida não vai ser definida na troca dos pilotos em si, pois o tempo para o reabastecimento e troca dos pneus supera o da troca de pilotos, a não ser que haja um problema. Acho que o nível dos pilotos convidados está bem alto. Todos já chegaram virando bem, então acredito que vai ser um conjunto, porque também não adianta se classificar lá atrás, pois em 20 minutos não haverá tempo para recuperar, mesmo tendo mais experiência na categoria”, analisou Maluhy.

218368_389587_fotos__8_

Para Lapenna, a troca será crucial. “Fizemos os testes para a troca de pilotos, que pode ser crucial, e fomos bem, mas vamos treinar um pouco mais. O Chico está muito bem, inclusive por estar cinco anos parado, ele mostrou que não esqueceu o que ele já fez. Está pegando mão do carro aos poucos. Mas estou confiante e animado”, concluiu Lapenna.

Na corrida especial apenas os 12 primeiros colocados somarão pontos, com 12 para o vencedor, 11 para o segundo, 10 para o terceiro e assim sucessivamente.

Confira a programação completa da 1ª etapa:

Sábado, dia 22:
9h55 – 10h55: 4º Treino livre – Pilotos Oficiais e Convidados (1º grupo)
11h05 – 12h05: 4º Treino livre – Pilotos Oficiais e Convidados (2º grupo)
14h – 15h: Classificação

Domingo, dia 23:
10h30: Largada (50 min de prova + 1 volta)

Na temporada 2014 da Stock Car, a equipe Hot Car Competições tem o patrocínio da Bardahl e apoio das empresas Contuflex, Ativas, Symantec, Kaiobá e Belvitur.

Texto: FGCom (Fernanda Gonçalves / Beatriz de Paula) – (11) 3473.4845 / (11) 3473.4841
Imagens: Vanderley Soares


1244 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.