http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Os bólidos da GT3 e GT4 encheram os olhos do público no Velopark

A peleia desta vez, no Autódromo Internacional Velopark, foi com as super-máquinas da Itaipava GT.

A penúltima etapa do certame teve a estreia oficial da Mercedes SLS AMG da dupla Sérgio Jimenez e Paulo Bonifácio, que chegou para encher ainda mais os olhos dos apaixonados por carro. Porém, na sexta-feira quando os bólidos entraram na pista, para os treinos livres, já era dado o indicativo que o estreiante não teria vida fácil, ao contrário, o domínio foi das Lamborghini Gallardo de Xandy e Xandinho Negrão e Garfinkel e Ricardo Maurício, com a Ferrari F458 de Daniel Serra e Chico Longo na terceira posição. A dupla Jimenez e Boni ficaram apenas com o sétimo tempo (52.842).

Já diziam os antigos entendedores – “treino é treino e corrida é corrida”. Logo, a desvantagem de fazer o sétimo tempo nos treinos livres de sexta-feira viraram pó, pois o bólido da Mercedes dominou as duas corridas, vencendo sem muitas dificuldade a prova de sábado. Na segunda prova, domingo, houve um pouco mais de dificuldade e uma boa briga com o Ford GT da dupla Matheus Stumpf e Valdeno Brito, mas como o bólido americano abriu o bico, acabou parando por problemas de câmbio, a vitória foi selada com 52 voltas em 50:51.028 (média de 139,76 km/h).

“Nós não imaginávamos que o carro seria tão competitivo logo de cara, apesar de a pista favorecer um pouco – é um modelo que traciona muito bem, freia muito bem. Mas fomos acertando durante o fim de semana e tivemos um pouco de sorte também para conseguir as duas vitórias. Estamos aqui com o objetivo de desenvolver o carro, pensando em 2012. Neste sentido, os resultados não poderiam ser melhores”, comenta Boni.
Nem tudo são flores e no automobilismo não podia ser diferente: realmente não era o final de semana do Ford GT número sete! No sábado o piloto gaúcho Matheus Stumpf teve que parar correndo por causa de fogo no motor e no domingo, depois de um trabalho de recuperação dos mecânicos e largando na pole, o carro acabou deixando a dupla a pé novamente.

Quem seu deu bem com o abandono foram os pilotos Xandy e Xandinho Negrão, da Lamborghini Gallardo LP600, que receberam a bandeirada na segunda pposição, com a pequena diferença de 0s527 para a Mercedes SLS AMG. “Nós jogamos muitos pontos fora nesta temporada, muitos mesmo, se contarmos todos os contratempos. Nós abandonávamos e o Ford GT (de Valdeno Brito e Matheus Stumpf) sempre terminava, mas desta vez ele zerou e conseguimos aproveitar. Foi ótimo pensando na decisão do campeonato”, comemora Xandinho Negrão.

E não foram só os bólidos da GT3 que encheram os olhos do público presente no mais moderno complexo automotivo da América Latina, a pilotada da GT4 – carros menos potentes, mas tão bonitos quanto os GT3 – pelearam muito no travado circuito do Velopark. O campenato tinha tudo para ser definido por estas querências, só era necessário que os líderes Cristiano Frederico e Caio Lara chegassem à frente da dupla Valter Rossete e Fábio Greco. Porém, dois bicudos não se beijam, e o enrosco entre eles acabou deixando a decisão para a última etapa em Interlagos no dia 18 de dezembro.

E quem não tinha nada a ver com isso fez o que tinha que ser feito, ou seja, a dupla Marçal Melo e William Freire – de Ginetta G50 – foram lá e ganharam a prova. O bólido amarelo cruzou a linha de chegada pressionado pela Ferrari de Antonio Jorge Neto e Alexandre Zaninotto. E mesmo fazendo a pole position não foi suficiente para a dupla, também de Ferrari, Marcello Sant’Anna e Chistian Pons, terminar a prova na frente, mas o pódio abocanharam, cruzando a linha de chegada na terceira posição.

“Fomos para a tomada de tempo sem o melhor desempenho, mas trabalhamos e achamos o que estava nos prejudicando. Durante a prova, entregamos tudo que podíamos e conseguimos conquistar mais uma vitória”, comenta William Freire. Após a vitória deste domingo, Marçal Melo, dupla de William Freire, comemorou o fim da má fase. “Com todos os problemas que tivemos durante o ano, esta vitória foi para lavar a alma e voltar a ter um bom momento”.

Os resultados ficaram assim:

Itaipava GT3
1º) 22 – S.Jimenez/P.Bonifacio (MB, SP/SP)
2º) 9 – X.Negrão/X.Negrão (LA , SP/SP)
3º) 33 – B.Garfinkel/R.Mauricio (LA , SP/SP)
4º) 19 – C.Longo/D.Serra (FE , SP/SP)
5º) 3 – R.Derani/C.Ricci (FE , SP/RS)

Itaipava GT4
1º) 82 – M.Melo/W.Freire (GI , SP/SP)
2º) 23 – Jorge Neto/A.Zaninotto (FC , SP/SP)
3º) 17 – M.Sant’Anna/C.Pons (FC , SP)
4º) 4 – F.Roso/P.Ventura (MA , RS/RS)
5º) 51 – Otavio Mesquita (FC , SP)

Agora não tem mais volta: já que nada ficou decidido por estas querências, a hora da verdade será no Autódromo de Interlagos no dia 18 de dezembro. Quem perder a briga, só em 2012 para ouvir o ronco destas máquinas dos sonhos!

Texto e Imagens: Automobilismo em Foco (Fernando Peres Nunes)


2170 dias ago by in Automobilismo | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave A Response