http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Metal Garage Race Cars, excelência e profissionalismo em restauração e preparação.

Os fãs de automobilismo sabem que uma boa oficina e um bom preparador são essenciais para um bom desempenho dentro da pista, e são poucas as especializadas em preparação de carros para andar nas pistas.

A oficina Metal Garage Racer Cars é uma delas. Ela é especializada na preparação de carros para corridas e também na restauração de veículos antigos. Maicon Anschau, o proprietário, diz que a ideia para montar a oficina surgiu da paixão por automobilismo e velocidade. Quando era guri ele era apaixonado por carros. O mecânico mostra uma coleção de miniaturas “mexidas” por ele. “Tenho vários carros como esses que eu ganhava e ficava mexendo, rebaixando e fazendo algumas modificações”, lembra.

Um dos brinquedos preparados por Maicon quando criança.

O preparador explica que a Metal Garage faz toda a preparação, desde que não envolva o motor. “Aqui eu faço toda a parte de lataria, elétrica e suspensão”, ressalta. “Na parte de lataria e motor eu conto com bons parceiros que fazem um trabalho excelente”, afirma Maicon. “Basicamente meu trabalho é a montagem do carro”.

O simpático e competente preparador Maicon Anschau contando um pouco da história da Metal Garage Race Cars.

O INÍCIO

Maicon conta que começou o serviço nas retas das provas de arrancada antes do nascimento da Metal Garage. Na época ele fazia a preparação e assessoria de alguns pilotos do campeonato gaúcho. Hoje ele faz a preparação de três carros na Copa Classic Gaúcha e mantém o trabalho de restauração. Hoje, com sede na cidade de Ivoti, a Metal Garage está expandindo a sua clientela trabalhando para pilotos de Porto Alegre e região metropolitana. Sobre os trabalho nos automóveis de competição e mecânico diz que oferece o melhor para que os pilotos, dentro da pista, também consigam bons resultados. “Tem bastante trabalho entre uma etapa e outra, às vezes trocar peças, lataria e reparar suspensão e freios, além da correria no dia da corrida”, completa Maicon. “A vantagem no trabalho com carros de corrida é que muitas vezes a atenção dada ao acabamento é um pouco menor, já que dentro da pista eles estão sujeitos a batidas e toques”, ressalta.

O potente Maverick V8 do piloto Leovando Petry, trabalho da Metal Garage e Overboost na Copa Classic do Rio Grande do Sul.

Mais um belo bólido preparado pela Metal Garage, o Fiat 147 de Thadeu Enzweiler, que fez sua estreia em 2012 na Copa Classic.

RESTAURAÇÃO

Ao visitar a Metal Garage podemos perceber alguns carros antigos esperando pelo processo de restauração. No dia que o Automobilismo em Foco esteve visitando a oficina Maicon trabalhava na restauração (revisão) de um Mustang 1967 Hard Top. Enquanto outros carros aguardavam a sua vez de voltar a ter seus dias de glória: um Ford 1929 Pick-Up Hot Rod que em breve estará desfilando pelas ruas e um Maverick que está sendo preparado para as pistas na endurance gaúcha. “Digo que sou apaixonado pelo “antigomobilismo”, gosto desse trabalho com carros antigos”, revela o preparador.

Mustang 1967 Hard Top sendo revisado pela Metal Garage Race Cars

Maicon ressalta que esse trabalho de restauração é bastante demorado e conta com várias etapas. “Dependendo de estado que o carro chega aqui na oficina ele leva de seis meses a um ano até a conclusão do trabalho”. Segundo o ele, uma das etapas que demanda mais tempo é a procura por peças originais para o automóvel. “Passo horas na frente do computador, várias visitas a ferros velhos garimpando as melhores peças para fazer um bom serviço”, revela. Segundo Maicon tem peças que ele nem procura por aqui tem que partir logo para importação: “principalmente peças de lataria, não adianta procurar que não tem, então importamos, esse é outro processo demorado”, destaca.

Ford 1929 Pick-Up Hot Rod, trabalho de restauração que está na sua primeira fase, início de um longo trabalho.

Fases

O trabalho de restauração é dividido em fases. A primeira fase é a funilaria, Maicon, em parceria com outras oficinas deixa tudo referente à lataria do carro em perfeitas condições, para depois passar para a próxima etapa. Nessa segunda fase é a hora de dar atenção aos acabamentos: bancos parte elétrica e som. “Nessa hora temos que ver se o cliente quer deixar o carro com o aspecto original ou contará com mudanças”, explica. Na terceira e última etapa chega a hora de dar atenção ao motor, câmbio e suspenção. “Aqui vemos com o proprietário o tipo de motor, se ele quer câmbio automático ou manual”, ressalta Maicon. Terminada essas etapas o carro está pronto para voltar às ruas.

Carros exclusivos, para clientes selecionados. O trabalho de restauração, como deste Ford 1929 Pick-Up Hot Rod pode levar mais de ano para ser concluído.

A maior parte dos clientes da Metal Garage leva os carros com a intenção de recolocar eles em uso. “Os carros que recuperados podem ser vistos nas ruas, os proprietários gostam de andar com eles nos finais de semana”, comenta Maicon. Para o preparador a qualidade no trabalho é a maior preocupação. “Eu trabalho só com um padrão de qualidade, e não é o razoável, é sempre o melhor”, finaliza.

Qualidade e atenção aos mínimos detalhes são premissas básicas da Metal Garage Race Cars.

Automobilismo Gaúcho

Sobre o automobilismo gaúcho Maicon diz que tem muita gente no caminho certo e um pessoal procurando o próprio caminho. “Vejo o pessoal da Copa Classic fazendo um bom trabalho, é a categoria que mais cresce, tento um número de carros no grid, como em qualidade” ressalta. O preparador, que vive o automobilismo há anos, sugere que duas experiências para o automobilismo no sul: a primeira é a junção da Copa Classic com a Copa Fusca. “Acho que é uma coisa que dá certo, vai ter um grid cheio e com disputas em todos os blocos da corrida como já aconteceu nas oportunidades em que as categorias correram juntas”.

A largada da última etapa da Copa Classic no Velopark, em uma gelada manhã de julho.

Maicon levanta uma ideia para aumentar o grid do gaúcho de endurance. “A categoria deveria fazer uma prova, de experiência, apenas com carros de turismo. Com certeza o grid da prova teria bem mais carros”, sugere. “Poderiam correr na mesma prova os GT, como a Ferrari, Maseratti, Lamborghini junto com os carros de turismo, seria uma experiência que pode dar certo”, complementa Maicon.

O Automobilismo em Foco agradece a disposição e o carisma do proprietário da Metal Garage, Maicon Anschau, pela entrevista concedida ao jornalista Murilo Carvalho (51 9707-2352).

Imagens: Automobilismo em Foco (Fernando Peres Nunes) – (51) 9372-0606 / (51) 9468-0906


1948 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave A Response