http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Leandro Totti domina primeira etapa da temporada da Fórmula Truck

Paranaense da RM Competições lidera de ponta a ponta em Caruaru diante de mais de 40.000 torcedores e obtém pontuação máxima

Leandro Totti dominou a primeira etapa dos campeonatos Brasileiro e Sul-Americano de Fórmula Truck. Campeão em 2012 e vice no ano passado, o paranaense da RM Competições venceu de ponta a ponta, neste domingo (16), o GP Aurélio Batista Félix, primeira etapa das duas competições. A corrida que abriu a temporada nacional do automobilismo levou mais de 40.000 pessoas ao Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Caruaru (PE).

LARGADA_TRUCK

Mais rápido em todas as sessões de treinos livres e classificatórios do sábado (15), Totti foi pole-position e manteve o Volkswagen-MAN número 73 da RM Competições na liderança nas 29 voltas da etapa pernambucana. Após mais de uma hora de corrida, recebeu a bandeirada da vitória com mais de 13 segundos de vantagem sobre o paulista Roberval Andrade, piloto do Scania da Ticket Car Corinthians Motorsport, que terminou em segundo.

A equipe de Andrade teve seus dois pilotos no pódio. Danilo Dirani, que voltou a competir na Fórmula Truck como titular do outro caminhão da Ticket Car Corinthians, terminou a disputa em quinto. O brasiliense Geraldo Piquet e o paulista Paulo Salustiano, que defendem as equipes ABF-Santos e ABF Racing Team, levaram seus caminhões Mercedes-Benz ao terceiro e ao quarto lugar. Dos 25 pilotos que largaram 17 chegaram ao fim da corrida.

ROBERVAL_ANDRADE

“É o resultado de um desenvolvimento que vem desde o ano passado”, definiu o vencedor Totti, destacando a vantagem de ter pista livre durante toda a corrida. “Com frente livre, pude andar num ritmo bom sem me preocupar com a temperatura, tinha ar frontal”, lembrou, revelando que a temperatura do motor MAN subiu enquanto esteve pressionado por Wellington Cirino, que abandonou na 16ª volta. “Depois que ele parou eu estabeleci um ritmo seguro”.

Andrade, que não alcançava o pódio em Caruaru desde 2008, exultou o segundo lugar. “É um recomeço de muito trabalho, foi um resultado gratificante para a equipe”, observou o piloto, que correu acometido por uma indisposição estomacal. “Fui conservador, mantive meu ritmo”, disse. Dirani comemorou o pódio. “Foi como eu renasci na Truck depois de um ano fora. Tudo na equipe é novo para mim, mas pressinto que será uma ótima temporada”.

Foi a mesma impressão manifestada por Piquet, o terceiro. “É cedo para pensar ou falar em título, mas acho que teremos um grande ano. O caminhão é competitivo”, atestou. Salustiano, que também pilota um Mercedes-Benz, viu o quarto lugar com alívio. “Foi um fim de semana com vários problemas para resolvermos, trabalhamos muito para evitar as quebras que nos frustraram no ano passado. O resultado mostra que posso brigar pelas vitórias”, ponderou.

GERALDO_PIQUET

A vitória deste domingo foi 11ª de Totti, número que o isola como sétimo maior vencedor da Fórmula Truck. Foi, também, o segundo triunfo em Caruaru – ele também ganhou a etapa em 2006, pilotando um caminhão Ford. A pole-position para a etapa de abertura da temporada de 2014 foi a sexta da carreira do paranaense, que nessa estatística também passa a ocupar o sétimo lugar, empatado com seu conterrâneo Osvaldo Drugovich Júnior.

A CORRIDA
A temporada de 2014 dos campeonatos Sul-Americano e Brasileiro da Fórmula Truck começou sob o calor de mais de 30 graus de Caruaru – era a temperatura ambiente no instante da largada. à bandeira verde, Wellington Cirino, terceiro no grid, ultrapassou Roberval Andrade, enquanto o pole-position Leandro Totti manteve-se na liderança – ele completou a primeira volta 1s7 à frente de Cirino e 2s3 à frente de Andrade.

A abertura da segunda volta marcou a ultrapassagem de Felipe Giaffone sobre Diogo Pachenki, que valeu-lhe o quarto lugar na corrida. David Muffato, em sua primeira participação pela DF Racing Fans, teve pane elétrica em seu Ford na terceira volta e abandonou. A essa altura, a vantagem de Totti chegava a 3s4. O ritmo do paranaense permitiu-lhe ampliar essa margem para 4s4 ao término da quarta volta de corrida.

Andrade, administrando o terceiro lugar, já recebia pressão de Giaffone. Na quinta volta, Pachenki foi ultrapassado por André Marques, Geraldo Piquet e Paulo Salustiano. O paranaense acabou saindo da pista e completou a quinta volta na décima posição. Nesse momento, Raijan Mascarello estacionou nos boxes da DF Racing Fans para reposição do pneu traseiro esquerdo externo, perdido em um toque durante disputa por posição.

O excesso de fumaça fez suas primeiras vítimas na sétima volta, quando os comissários de prova determinaram que Leandro Reis e Djalma Fogaça procurassem seus boxes para eliminar o problema. Ronaldo Kastropil estava nos boxes desde a terceira volta, com problemas na embreagem do Mercedes-Benz. Acabou abandonando. Débora Rodrigues, embora com a carenagem do caminhão danificada por um toque, seguia na pista.

Giaffone mantinha sua postura de ataque a Andrade na décima volta, quando a perda de rendimento de seu MAN, motivados por problemas com a direção hidráulica, o fez cair para 18º – nesse instante, seu companheiro de equipe Adalberto Jardim abandonava, nos boxes. Pachenki, que enfrentava problemas com o intercooler de seu Volvo desde as primeiras voltas, também tomou o caminho dos boxes e viu-se obrigado a se retirar da disputa.

A intervenção programada do Pace Truck a um terço de cada corrida aconteceu após 11 voltas. Totti, Cirino, Andrade, Marques e Piquet ocupavam as cinco primeiras posições no GP Aurélio Batista Félix e receberam pontos de bonificação na classificação dos dois campeonatos – Totti havia conquistado o ponto extra pela conquista da pole-position e já garantia o ponto de bônus pela volta mais rápida da corrida, assinalada na segunda passagem.

PÓDIUM_600

Dada a relargada, Totti sustentou a liderança e em uma volta abriu 1s5 de vantagem sobre Cirino, margem que passou a ser de 2s2 na 13ª volta e superou a casa dos 3s na 14ª. Andrade, terceiro, recebia pressão incisiva de Marques; Piquet, em quinto, vivia situação parecida, com Salustiano buscando um lugar no grupo dos cinco que compõem o pódio de cada etapa. Marques, contudo, também foi chamado aos boxes por excesso de fumaça.

O estreante Marcello Cesquim, que havia perdido posições na largada, defendia desde a relargada da corrida o nono lugar – mesma posição que teve no grid. A ameaça à sua posição era representada por Beto Monteiro e Valmir Benavides. O pernambucano e o paulista, ambos pilotos da Scuderia Iveco, foram desclassificados da tomada de tempos de sábado, largaram do fim do grid e figuravam em 10º e 11º, respectivamente.

A 16ª volta marcou a saída de pista do vice-líder Cirino, que abandonou. A ocorrência de óleo no traçado causou a rodada de Marques antes mesmo de sua ida para os boxes por conta do problema com a fumaça. Os problemas dos dois pilotos permitiram a Danilo Dirani, que voltou à Fórmula Truck pilotando o outro caminhão da Ticket Car Corinthians, passar a ocupar a quinta posição – estava atrás de Totti, Andrade, Piquet e Salustiano.

Débora Rodrigues, com o sistema de refrigeração de seu Volkswagen danificado em um toque durante uma disputa por posição, retirou-se da corrida também na 16ª volta. Na 19ª, Monteiro ultrapassou Cesquim e passou à sétima posição. Seu companheiro de equipe Benavides tentou aproveitar a manobra para também superar o estreante, mas, com a tomada da curva comprometida, acabou rodando e caindo para o décimo lugar na corrida.

No complemento da 20ª volta, Totti mantinha o ritmo forte e liderava com mais de 10 segundos de vantagem sobre Andrade. Jardim, após uma longa permanência nos boxes, voltou à pista disposto a aproveitar os instantes finais da corrida a título de teste dos reparos efetuados pela equipe. Monteiro, dando sequência à sua prova de recuperação, já ameaçava o sexto lugar de Fabiano Brito, que voltou a disputar a F-Truck depois de três anos de ausência.

A ultrapassagem de Monteiro sobre Brito aconteceu após a frenagem ao fim da reta oposta do circuito caruaruense, a menos de sete minutos do fim da disputa. Sua desvantagem em relação a Dirani era de 7s1. Cesquim defendia o oitavo lugar dos ataques de Benavides. A disputa acolheu Giaffone, que a duas voltas do fim excedeu o limite de 160 km/h no ponto da pista onde há um radar e teve 20 segundos acrescidos a seu tempo total de prova.

Após 29 voltas válidas, o resultado final do GP Aurélio Batista Félix foi o seguinte:

1º) Leandro Totti (PR/Volkswagen-MAN), RM Competições, 1h01min22s152
2º) Roberval Andrade (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, a 13s089
3º) Geraldo Piquet (DF/Mercedes-Benz), ABF Santos, a 16s336
4º) Paulo Salustiano (SP/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 16s843
5º) Danilo Dirani (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, a 18s776
6º) Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, a 25s298
7º) Fabiano Brito (PR/Volvo), ABF/Volvo, a 29s269
8º) Marcello Cesquim (PR/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 37s182
9º) Valmir Benavides (SP/Iveco), Scuderia Iveco, a 39s115
10º) João Maistro (PR/Volvo), Copacol Clay Truck Racing, a 57s718
11º) Felipe Giaffone (SP/ MAN), RM Competições, a 59s411
12º) Pedro Muffato (PR/Scania), Muffatão, a 1min02s042
13º) Jaidson Zini (PR/Iveco), Dakarmotors, a 1min10s349
14º) Luiz Lopes (SP/Iveco), Lucar Motorsports, a 1min29s499
15º) Jansen Bueno (PR/Scania), Muffatão, a 1min34s033
16º) André Marques (SP/Volkswagen-MAN), RM Competições, a 1min45s213
17º) Raijan Mascarello (MT/Ford), DF Racing Fans, a 1 volta
NÃO COMPLETARAM
Adalberto Jardim (SP/Volkswagen-MAN), RM Competições, a 12 voltas
Wellington Cirino (PR/Mercedes-Benz), ABF Santos, a 14 voltas
Débora Rodrigues (SP/Volkswagen-MAN), RM Competições, a 14 voltas
Diogo Pachenki (PR/Volvo), Copacol Clay Truck Racing, a 19 voltas
Djalma Fogaça (SP/Ford), DF Racing Fans, a 22 voltas
Ronaldo Kastropil (SP/Mercedes-Benz), ABF Desenvolvimento Team, a 26 voltas
David Muffato (PR/Ford), DF Racing Fans, a 27 voltas
DESCLASSIFICADO
Leandro Reis (GO/Ford), Original Reis Competições, fumaça
Melhor volta: Totti, na 2ª, 1min50s850, média de 103,274 km/h

CLASSIFICAÇÃO
Com a realização da primeira etapa, os campeonatos Brasileiro e Sul-Americano de Fórmula Truck têm a seguinte classificação: 1º) Totti, 32 pontos; 2º) Andrade, 23; 3º) Piquet, 18; 4º) Salustiano, 14; 5º) Dirani, 12; 6º) Monteiro, 10; 7º) Brito, 8; 8º) Cesquim, 7; 9º) Benavides, 6; 10º) Maistro, 5; 11º) Giaffone e Cirino, 4; 13º) Muffato, 3; 14º) Zini e Marques, 2; 16º) Lopes, 1.

Grelak Comunicação
Fotos: Orlei Silva


1249 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.