http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Giaffone conquista primeira vitória no ano e adia decisão do título da Fórmula Truck

Terceiro lugar no GP Petrobras deixa Totti dependendo de um sétimo lugar na etapa de Goiânia para ser bicampeão

Felipe Giaffone liderou de ponta a ponta o GP Petrobras e alcançou na corrida deste domingo (2) em Londrina sua primeira vitória na temporada de 2014 do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. Vice-líder da temporada, o paulista da RM Competições dominou a corrida no Autódromo Internacional Ayrton Senna, chegou à 19ª vitória desde sua estreia na categoria e adiou a definição do título para a última corrida do ano.

“Acho que foi a minha vitória mais difícil na categoria. No começo, meu caminhão era perfeito, controlável, mas depois por algum motivo começou a escorregar bastante”, disse na coletiva de imprensa. Ele enfrentou ainda outro contratempo a partir do meio da corrida. “Explodiu o extintor de incêndio, que atrapalhou muito. Sujou todo o vidro da frente, eu não conseguia limpar. Demorou até secar. Mas foi uma disputa bem bacana até o final”, considerou o vencedor.
febcb5be3ecd1281a102b1c579acd8e1
A torcida de Londrina lotou o autódromo manifestando a expectativa de que o título pudesse ser assegurado com uma etapa de antecipação pelo piloto da cidade, Leandro Totti. Também piloto da RM Competições, ele terminou a prova em terceiro lugar e manteve-se na liderança da competição, agora com 203 pontos. Totti leva 22 pontos de vantagem na tentativa de buscar o segundo título brasileiro. “Errei na classificação, e acabei largando na 12ª posição, e saindo atrás não é fácil, precisei exigir muito mais do caminhão”, avaliou. “Imprimi um ritmo muito forte na corrida. Vi que o Giaffone tinha algum problema, cheguei a ultrapassar, tivemos um toque e perdi posição de novo. Na outra ultrapassagem, acabei forçando mais e queimei o radar. Acho que foi uma corrida muito boa. O importante foi não deixar diminuir muito a diferença no campeonato”, finalizou

O segundo lugar na etapa foi conquistado por outro piloto paranaense, Wellington Cirino, com um dos Mercedes-Benz da ABF-Santos. Cirino é o único piloto da Fórmula Truck com classificação final definida no campeonato – é o terceiro, posição que será mantida com qualquer resultado na última etapa. “Larguei bem, e fui mantendo um ritmo muito forte do começo ao fim. Tive um pouco de dificuldade no final da corrida, do contrário, acho que teria condições de brigar pela vitória”, especulou. Roberval Andrade, com o Scania da Ticket Car-Corinthians, e Geraldo Piquet, com o Mercedes-Benz da ABF-Santos, completaram a festa no pódio.

O resultado do GP Petrobras consolidou também o título da MAN no campeonato de marcas da Fórmula Truck. A montadora chegou a 418 pontos na tabela de classificação, 116 à frente da Mercedes-Benz, já confirmada como vice-campeã. A Scania chegou aos 181 pontos e assegurou o terceiro lugar final. Iveco, com 98, Volvo, com 84, e Ford, com 55, vão disputar o quarto lugar na décima e última etapa, dia 7 de dezembro em Goiânia (GO).

O campeonato de marcas foi instituído na Fórmula Truck em 2004. Com o título conquistado neste domingo, a MAN chega a cinco e volta à liderança do ranking – os outros quatro foram conquistados pela Volkswagen em 2007 e de 2009 a 2011. A Mercedes-Benz conquistou os títulos de 2006, 2008, 2012 e 2013. Ford, campeã de 2004, Scania, dona da taça em 2005, e Iveco, que ficou com o título do ano passado, completam a galeria de campeãs.

A CORRIDA

Dada a largada, enquanto o pole Felipe Giaffone mantinha-se à frente, Roberval Andrade, terceiro no grid, emparelhou seu caminhão com o de Beto Monteiro, que largou em segundo e manteve sua posição. Paulo Salustiano, largando do fim do grid, enfrentou problemas e bateu logo depois da curva do Estádio, ocasionando a primeira intervenção do Pace Truck na corrida, que a partir disso teve quatro voltas cumpridas sob bandeira amarela.

Leandro Totti, líder do campeonato e 13º no grid, já figurava em oitavo no momento da primeira neutralização. A relargada foi autorizada após cerca de dez minutos de neutralização. Na segunda volta válida, Totti superou André Marques e Diogo Pachenki para assumir a sexta posição. Wellington Cirino já havia tomado, na terceira volta, a terceira posição de Andrade, que passou a ser pressionado por Geraldo Piquet, Totti e Pachenki.

A abertura da quarta volta foi marcada pela ultrapassagem de Totti sobre Piquet. Na reta oposta do circuito, o piloto londrinense superou Andrade para ser quarto – estava quase três segundos atrás de Cirino. O líder Giaffone tinha dois segundos de vantagem sobre Monteiro e mais de segundo segundos de dianteira em relação a Cirino. Totti usou a sexta volta da prova para baixar de dois segundos sua desvantagem em relação a Cirino.

Cirino acabou perdendo tempo na sétima volta e permitiu, com isso, que Totti se aproximasse e lhe tomasse o terceiro lugar na corrida, que chegou ao primeiro terço, instante em que há a intervenção programada do Pace Truck e a neutralização para arrefecimento dos sistemas dos caminhões. A essa altura os cinco primeiros eram Giaffone, Monteiro, Totti, Cirino e Andrade, que assim receberam pontos de bonificação na classificação do campeonato.

Dada a relargada, Monteiro resistiu às insistentes tentativas de Totti de assumir a vice-liderança e, em uma única volta, Giaffone abriu mais de dois segundos de vantagem. O líder ampliou essa margem a mais de três segundos até a 13ª volta, quando Monteiro enfrentou problemas elétricos em seu Iveco e tomou o caminho dos boxes para abandonar. Totti, ao mesmo tempo em que assumiu o segundo lugar, reduziu a vantagem de Giaffone a 2s854.

A diferença passou a cair volta a volta. Era de 2s238 ao fim da 14ª volta, de 1s601 na 15ª, de 1s274 na 16ª e de 0s638 na 17ª, quando Totti passou a pressionar diretamente o companheiro de equipe na disputa pela liderança do GP Petrobras. A primeira tentativa de ultrapassagem veio ao fim da reta oposta e chegou a haver um leve toque entre os dois pilotos enquanto Totti contornava a curva do Bacião pelo lado externo do traçado.

Giaffone manteve-se à frente aplicando em sua defesa de posição uma pilotagem combativa – a ultrapassagem de Totti seria suficiente para definir o título por antecipação. Totti conseguiu a ultrapassagem na reta oposta na 22ª volta. Sua velocidade o fez exceder o limite de 160 km/h ao radar limitador. Depois de perder o ponto de frenagem ao fim da reta oposta, informado da infração pela equipe, cumpriu imediatamente o drive-thru como punição.
df01b6890958d28a77ad8039d44bc962
Totti voltou dos boxes em quarto lugar, a 17 segundos de Giaffone – à sua frente estavam, também, Cirino e Andrade, em segundo e terceiro. Na 24ª volta foi Cirino quem passou a atacar a liderança de Giaffone, reduzindo sua desvantagem a 1s102 – nas voltas seguintes, a diferença caiu a 0s945 e a 0s704. Totti superou Andrade e recuperou a terceira posição, já estando mais de 15 segundos atrás do duelo que valia a liderança.

GP PETROBRAS – CLASSIFICAÇÃO FINAL
(Resultado da corrida em Londrina após 28 voltas)
1º) Felipe Giaffone (SP/MAN), RM Competições, 1h00min24s844
2º) Wellington Cirino (PR/Mercedes-Benz), ABF-Santos Desenvolvimento, a 0s915
3º) Leandro Totti (PR/Volkswagen), RM Competições, a 20s952
4º) Roberval Andrade (SP/Scania), Ticket Car-Corinthians Motorsport, a 22s117
5º) Geraldo Piquet (DF/Mercedes-Benz), ABF-Santos Desenvolvimento, a 31s521
6º) André Marques (SP/Volkswagen), RM Competições, a 33s878
7º) Diogo Pachenki (PR/Volvo), Copacol Clay Truck Racing, a 35s949
8º) Jansen Bueno (PR/Scania), Muffatão, a 38s841
9º) Gustavo Magnabosco (SC/Volvo), ABF Motorsport, a 46s131
10º) David Muffato (PR/Ford), DF Racing Fans, a 49s656
11º) Leandro Reis (GO/Ford), Original Reis Competições, a 50s019
12º) Danilo Dirani (SP/Scania), Ticket Car-Corinthians Motorsport, a 50s999
13º) Raijan Mascarello (MT/Ford), DF Racing Fans, a 1min06s582
14º) Marcello Cesquim (PR/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 1min08s233
15º) Jaidson Zini (SP/Iveco), Dakarmotors, a 1min09s072
16º) Valmir Benavides (PR/Iveco), Scuderia Iveco, a 1min20s092
17º) Débora Rodrigues (SP/Volkswagen), RM Competições, a 2 voltas
18º) Fabiano Brito (PR/Scania), Falsi & Falsi Racing Team, a 2 voltas
19º) Luiz Lopes (SP/Iveco), Lucar Motorsports, a 5 voltas
NÃO COMPLETARAM
Pedro Muffato (PR/Scania), Muffatão, a 8 voltas
João Marcos Maistro (PR/Volvo), Copacol Clay Truck Racing, a 14 voltas
Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, a 16 voltas
Adalberto Jardim (SP/Volkswagen), RM Competições, a 16 voltas
Djalma Fogaça (SP/Ford), DF Racing Fans, a 17 voltas
José Maria Reis (GO/Ford), Original Reis Competições, a 20 voltas
Paulo Salustiano (SP/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 28 voltas
Melhor volta: Giaffone, na 3ª, 1min37s443, média de 116,191 km/h

CLASSIFICAÇÃO
A uma etapa do fim, a classificação da F-Truck é: 1º) Totti, 203 pontos; 2º) Giaffone, 181; 3º) Cirino, 142; 4º) Andrade, 108; 5º) Piquet, 95; 6º) Marques, 82; 7º) Salustiano, 73; 8º) Monteiro, 64; 9º) Dirani, 55; 10º) Jardim, 49; 11º) Cesquim, 46; 12º) Pachenki, 34; 13º) Bueno, 29; 1º) Benavides, 28; 15º) Mascarello, 19; 16º) Rodrigues, 18; 17º) Magnabosco, 16; 18º) Fogaça e Maistro, 14; 20º) Lopes e D. Muffato, 12; 22º) Kastropil e L. Reis, 11; 24º) P. Muffato, 8; 25º) de Jesus, 7; 26º) Zini, 3.
No campeonato das marcas, a pontuação a uma etapa do fim é esta: 1º) MAN, 418; 2º) Mercedes-Benz, 302; 3º) Scania, 181; 4º) Iveco, 98; 5º) Volvo, 84; 6º) Ford, 55 .

Grelak Comunicação
Fotos: Orlei Silva


966 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.