http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Fórmula Truck: Totti vence em Córdoba a 200ª corrida da história

Paranaense da RM Competições comemora 16ª vitória no Campeonato Brasileiro. Giaffone, segundo, é vice-campeão sul-americano

A 200ª corrida da história do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck teve Leandro Totti como vencedor. Segundo colocado no grid, o paranaense da RM Competições assumiu a liderança na segunda volta do GP Brasil-Argentina e a manteve até a última das 24 voltas da prova, disputada neste domingo (14) no Autódromo Oscar Cabalén, em Alta Gracia, cidade da província argentina de Córdoba. Foi sua sexta vitória em 2014, 16ª na carreira.

A corrida em Córdoba valeu como quarta e última etapa do Campeonato Sul-Americano da categoria. Totti, que viajou à Argentina com o segundo título continental já assegurado, foi vencedor de todas as etapas válidas – as demais aconteceram em Caruaru (PE), Interlagos (SP) e Cascavel (PR). Líder isolado do Brasileiro, ele ampliou para 55 pontos sua vantagem sobre Felipe Giaffone, paulista que também defende a RM e terminou a prova em segundo.

 A 16ª vitória de Leandro Totti na Fórmula Truck foi a primeira fora do Brasil

A 16ª vitória de Leandro Totti na Fórmula Truck foi a primeira fora do Brasil


Três pilotos da RM Competições estiveram no pódio argentino. Além de Totti e Giaffone, a cerimônia de premiação acolheu o paulista André Marques, quarto colocado com um Volkswagen-MAN. O brasiliense Geraldo Piquet, da ABF-Santos Desenvolvimento, terminou a corrida em terceiro. O paulista Danilo Dirani, da Ticket Car-Corinthians, lançou-se à recuperação depois de uma punição nas voltas iniciais e foi ao pódio pela segunda vez no ano, em quinto.

Totti comemorou a vitória com alívio. “Foi um fim de semana difícil, de muitas quebras, que complicou bastante. A equipe fez um belo trabalho e me deu um caminhão para disputar lá na frente, com durabilidade do começo ao fim mesmo com o ritmo forte que coloquei”, falou o vencedor. “Isso prova que a gente está no caminho certo. O foco agora é conseguir abrir mais vantagem na próxima corrida, vamos focar nisso daqui para a frente”.

Giaffone viu altos e baixos no segundo lugar. “Faltou um pouquinho para tentar a vitória. Faz um ano e sete meses que está faltando esse pouquinho. O que me resta é trabalhar e seguir animado para terminar o campeonato, mas é uma situação particular minha, eu tenho que repensar algumas coisas. Mas hoje foi tudo muito bom, não posso reclamar. A equipe está de parabéns, o Totti e o André também estiveram muito bem”, resumiu.
d982d8927031b9e8de837983b0a58ef6
O terceiro lugar na corrida garantiu a Piquet a mesma posição na tabela definitiva do Sul-Americano. “O caminhão esteve bem sempre. Era até para eu largar da segunda fila, mas dei uma erradinha no treino classificatório e fiquei em sexto. Na corrida fui vindo para a frente, era o segundo e no fim o Giaffone botou do lado numa curva perigosa, se eu tentasse disputar poderia haver um acidente, não valeria a pena. O importante foi marcar pontos”, falou.

A CORRIDA
Na largada, as primeiras posições foram mantidas. A alteração mais significativa aconteceu na terceira fila, com Wellington Cirino, quinto no grid, caindo para sétimo, superado por Geraldo Piquet e Felipe Giaffone. A segunda volta foi marcada pela ultrapassagem de Leandro Totti sobre Paulo Salustiano na reta oposta, pelo lado externo do traçado. Danilo Dirani e Roberval Andrade, terceiro e quarto, acompanhavam a disputa de muito perto.

Valmir Benavides protagonizou o primeiro abandono da prova na terceira volta, instantes antes de Diogo Pachenki parar nos boxes. No complemento da quarta volta foi Andrade quem abandonou com problemas mecânicos. Logo na sequência, Jansen Bueno e Jaidson Zini rodaram na pista ao mesmo tempo na curva que dá acesso à reta dos boxes. Zini tomou imediatamente o caminho dos boxes para retornar à pista logo em seguida.

Na sexta volta, Danilo Dirani excedeu os 160 km/h de limite no ponto da pista onde existe um radar de segurança e foi submetido a um drive-thru como punição. Zini voltou aos boxes na nona volta, para abandonar a corrida com problemas na embreagem de seu caminhão. O quinto a desistir da corrida foi Ronaldo Kastropil, enfrentando problemas mecânicos diversos. Ele estacionou nos boxes na oitava volta de corrida.

Dirani cumpriu sua punição na décima, logo depois de ser ultrapassado por Piquet, e retomou a atuação na corrida ocupando a 12ª posição. Um dos destaques da primeira parte da corrida ficou por conta de Beto Monteiro, atual campeão brasileiro e vencedor da etapa argentina em 2013. Último colocado no grid depois de sofrer uma punição no treino classificatório, o pernambucano completou a 12ª volta do GP Brasil-Argentina em sétimo lugar.

O pelotão foi todo reagrupado depois de 13 voltas, quando a corrida teve a neutralização programada do Pace Truck por ter atingido seu primeiro terço. O grupo dos cinco primeiros colocados, que recebem pontos de bonificação na classificação dos campeonatos Brasileiro e Sul-Americano, era composto por Totti, Salustiano, Piquet, Giaffone e Cirino. A relargada foi dada depois de duas voltas no ritmo de intervenção do Pace Truck.

Totti abriu a 14ª volta válida de corrida após a relargada com 3s497 de vantagem sobre o restante do pelotão. Piquet superou Salustiano logo depois da relargada e assumiu a vice-liderança da corrida. Enquanto Wellington Cirino e Fabiano Brito tomavam o caminho dos boxes, um acidente entre Michelle de Jesus e Jansen Bueno forçava outra intervenção do Pace Truck para que se pudesse promover a remoção de seus caminhões.

Ainda sob bandeira amarela, Débora Rodrigues e David Muffato também pararam nos boxes para reparos nos caminhões. A nova relargada ocorreu a 22 minutos do término da etapa. Piquet assumiu um ritmo forte para pressionar o líder Totti. Dirani, em corrida de recuperação, assumiu a sétima posição na 16ª volta, ultrapassando Adalberto Jardim na reta oposta. Cirino já era décimo colocado quando parou em definitivo à beira da pista na 18ª volta.

Gustavo Magnabosco, cumprindo sua terceira corrida na categoria, era o décimo colocado quando parou à beira da pista na 18ª volta, para abandonar. Na volta seguinte, Paulo Salustiano rodou ao fim da reta oposta por conta de problemas mecânicos e também teve de desistir da disputa. O resgate de seu caminhão provocou a terceira intervenção do Pace Truck na prova, aniquilando a vantagem de Totti na liderança, que passava de quatro segundos.

A disputa pela vitória nos sete minutos finais seria comandada por Totti, Piquet, Giaffone, Monteiro, André Marques e Dirani, os seis primeiros depois de 20 voltas válidas. O ritmo desse grupo após a última relargada fez com que os seis integrantes se distanciassem dos demais. Na 23ª volta, Giaffone superou Piquet e assumiu a vice-liderança da corrida. Monteiro, enquanto isso, retirava-se da corrida, também por conta de problemas mecânicos.

RESULTADO E CLASSIFICAÇÃO
Depois de 24 voltas, o resultado do GP Brasil-Argentina, neste domingo em Córdoba, foi o seguinte:

1º) Leandro Totti (PR/Volkswagen), RM Competições, 1h00min24s174
2º) Felipe Giaffone (SP/MAN), RM Competições, a 1s140
3º) Geraldo Piquet (DF/Mercedes-Benz), ABF-Santos Desenvolvimento, a 1s538
4º) André Marques (SP/Volkswagen), RM Competições, a 2s148
5º) Danilo Dirani (SP/Scania), Ticket Car-Corinthians Motorsport, a 4s790
6º) Adalberto Jardim (SP/Volkswagen), RM Competições, a 7s985
7º) Débora Rodrigues (SP/Volkswagen), RM Competições, a 13s804
8º) Marcello Cesquim (PR/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 14s225
9º) João Marcos Maistro (PR/Volvo), Copacol Clay Truck Racing, a 16s176
10º) Pedro Muffato (PR/Scania), Muffatão, a 17s615
11º) Raijan Mascarello (MT/Ford), DF Racing Fans, a 17s807
12º) Luiz Lopes (SP/Iveco), Lucar Motorsports, a 1min02s265
13º) Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, a 2 voltas
14º) Paulo Salustiano (SP/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 6 voltas
15º) Gustavo Magnabosco (SC/Volvo), ABF Motorsport, a 6 voltas
NÃO COMPLETARAM
Wellington Cirino (PR/Mercedes-Benz), ABF-Santos Desenvolvimento, a 7 voltas
Fabiano Brito (PR/Scania), Falsi & Falsi Racing Team, a 10 voltas
David Muffato (PR/Ford), DF Racing Fans, a 11 voltas
Michelle de Jesus (SP/Volvo), ABF Motorsport, a 11 voltas
Jansen Bueno (PR/Scania), Muffatão, a 11 voltas
Ronaldo Kastropil (SP/Mercedes-Benz), Santa Carolina Racing Team, a 17 voltas
Jaidson Zini (SP/Iveco), Dakarmotors, a 18 voltas
Roberval Andrade (SP/Scania), Ticket Car-Corinthians Motorsport, a 20 voltas
Diogo Pachenki (PR/Volvo), Copacol Clay Truck Racing, a 20 voltas
Valmir Benavides (PR/Iveco), Scuderia Iveco, a 22 voltas
Melhor volta: Totti, na 7ª, 1min31s961, média de 144,491 km/h

A classificação final do Campeonato Sul-Americano de Fórmula Truck, já aplicados os critérios de desempate, é a seguinte: 1º) Totti, 125 pontos; 2º) Giaffone, 64; 3º) Piquet, 64; 4º) Cirino, 50; 5º) Marques, 43; 6º) Andrade, 40; 7º) Salustiano, 36; 8º) Jardim, 34; 9º) Dirani, 24; 10º) Cesquim, 24; 11º) Monteiro, 20; 12º) Maistro, 11; 13º) Rodrigues, 11; 14º) Mascarello, 10; 15º) P. Muffato, 8; 16º) Kastropil, 7; 17º) Benavides, 7; 18º) L. Reis, 6; 19º) Lopes, 6; 20º) Zini, 3.

No Campeonato Brasileiro, após sete etapas, a classificação é: 1º) Totti, 183 pontos; 2º) Giaffone, 128; 3º) Cirino, 104; 6º) Piquet, 79; 7º) Marques, 67; 4º) Monteiro, 64; 4º) Andrade, 62; 8º) Salustiano, 53; 9º) Cesquim, 45; 10º) Jardim, 41; 11º) Dirani, 39; 12º) Pachenki, 25; 13º) Benavides, 21; 14º) Mascarello, 17; 15º) Fogaça, 14; 16º) Bueno, Lopes e Rodrigues, 12; 19º) Maistro e Kastropil, 11; 21º) P. Muffato, 8; 22º) L. Reis e De Jesus, 7; 21º) Magnabosco, 6; 22º) D. Muffato, 5; 25º) Zini, 3.

Na competição entre marcas, a classificação final do Sul-Americano de 2014 é a seguinte: 1º) MAN, 201 pontos; 2º) Mercedes-Benz, 140; 3º) Scania, 68; 4º) Iveco, 35; 5º) Volvo, 20; 6º) Ford, 16. Ainda na competição entre as marcas, a classificação do Campeonato Brasileiro a três etapas do fim é: 1º) MAN pontos, 332; 2º) Mercedes-Benz, 238; 3º) Scania, 110; 4º) Iveco, 91; 5º) Volvo, 67; 6º) Ford, 42.

Grelak Comunicação
Fotos: Orlei Silva


1133 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.