http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Endurance: Vitória de Marcel Visconde e Ricardo Maurício com a Porsche 911 GT3 R #20

Mais líderes do que nunca, a dupla da Stuttgart Motorsport conquistou a terceira vitória na temporada 2017

O sábado amanheceu ensolarado na simpática cidade do interior do Rio Grande do Sul, mas como antecipava a previsão do tempo, uma garoa começou a cair bem na largada, mas o que poderia transformar a prova em uma loteria não aconteceu e, no final, o sol deu as caras na quarta etapa do Campeonato Brasileiro e Gaúcho de Endurance DOPAMINA, no Autódromo de Santa Cruz do Sul.

Foram três horas de corrida de muitas ultrapassagens, boas disputas e troca de posições da largada até a quadriculada, onde 25 carros alinharam no grid. Líderes da competição e vencedores das duas últimas etapas em Curitiba e Interlagos, e pole position da etapa Ricardo Maurício foi o responsável por largar, onde na primeira curva foi ultrapassado por Stuart Turvey (Scorpion #37), que pulou na frente depois de largar na sexta posição, mas nada que tirasse o brilho e mais uma vitória do bicampeão da Stock Car e de seu companheiro de equipe Marcel Visconde. Com a terceira vitória consecutiva Visconde e Maurício abriram uma vantagem ainda maior na competição.
319473_723641_dudu3344
“Não esperávamos ter uma corrida tão tranquila aqui em Santa Cruz do Sul. Aconteceram os incidentes normais de qualquer corrida, mas nada que colocasse nosso resultado em risco”, vibrou Visconde. “Estou contente porque nosso carro atual, o 911 GT3 R, nunca havia andado aqui, e tivemos um ótimo desempenho em uma pista que exige muito do conjunto e do piloto. O Ricardo conhece bem este traçado, mas eu só havia corrido em Santa Cruz uma vez, há dez anos, com um Porsche 911 GT3 Cup que era totalmente diferente do carro de hoje”, finalizou.

Na categoria P2, a primeira colocação e vitória do ano foi de Henrique Assunção e Fernando Ohashi (MRX #75). O pódio foi completado por Cali Crestani (Tornado #03) e Aldoir Sette e Marcelo Campagnolo (MRX #07), que com a conquista assumiram a liderança da categoria.

Marcelo Vianna e Julio Martini (Tubarão #69) conquistaram a quarta vitória da temporada e garantiram o título de Campeões Brasileiros com duas etapas de antecipação na categoria P3, com Marcelo Giacomello, Matheus Stumpf e Renato Stumpf (MRX #08), em segundo; e Rafael Simon e Gustavo Simon (MRX #58), em terceiro.

“Ganhamos o título após quatro etapas perfeitas. Está sendo um campeonato dos sonhos, uma vez que vencemos todas as corridas do calendário até aqui”, disse Vianna. “A corrida foi um pouco complicada no começo, pois perdemos algumas posições. Porém, como sempre a equipe nos entregou um carro muito rápido, principalmente no miolo, e mantivemos um ritmo forte durante toda a prova. Quero agradecer a todos que participaram de alguma forma desse título. Ser campeão brasileiro é algo que vou guardar para a vida toda”, comemorou o jovem paulista.

A GT1 teve no lugar mais alto do pódio Humberto Giacomello e Andre Senger (Sonic #17), seguidos por Paulo Rutzen, Gustavo Martins e Vilson Jr. (Lamborghini #46) e da dupla Carlos Kray e Ricardo Mendes (Ferrari #155).

“Nossa tomada de tempo foi muito ruim por conta de um problema na caixa de câmbio, o que fez com que o início da prova fosse difícil. O carro é muito regular e consistente, além de ser constante a prova toda. E isso faz a diferença na longa duração e nos fez buscar a vitória”, comentou Senger.

Na GT2, a primeira colocação foi de Arthur Caleffi e Claiton Krause (Volvo #39). Na T, Ricardo Terres e Juarez Terres (Gol #88) venceram. A quinta etapa do Brasileiro de Endurance será no Autódromo do Velo Città, no dia 23 de setembro.

Confira o que foi destaque na prova:

A Lamborghini #31 de William Freire e Marcello Sant’Anna brilhou na largada, saindo da sétima colocação e pulando para a terceira posição e cruzando a linha de chegada na quinta posição. Já nas primeiras voltas alguns fortes candidatos e líderes de categoria ficaram pelo caminho. Como o Tubarão #32 de Mauro Kern e Paulo Sousa, que tiveram uma quebra. O que causou a entrada do safety car, por mais de cinco voltas. Enquanto isso, a briga pela segunda colocação era intensa entre seis protótipos da GP1, com boas disputas entre Freire, Turvey, Ribeiro (MRX #65), Fortes (MR18 #117), Dieter (MR18 #110) e Pasquale (Tubarão #05).

Um susto no fim da reta na volta 16, com fogo no carro de Stuart Turvey, onde o piloto acionou o extintor do carro, com muita segurança resolvendo o problema, com mais uma intervenção do safety car. Na volta 17, em uma boa disputa com Wiliam Freire, Fernando Fortes (MR18 #117) assumiu a segunda posição.

Na 31ª volta Eduardo Dieter (companheiro de Francesco Ventre no MR18 #110) conquistou a terceira posição trazendo junto Franco Pasquale (Tubarão #05), em uma ultrapassagem dupla em cima de Freire. Gustavo Tomazini (companheiro de Sergio Cardoso no MRX #43) vinha fazendo uma grande corrida liderando na categoria P3, mas acabou saindo da pista e perdendo algumas posições, caindo de oitavo para 13º.

A disputa pela segunda posição entre Fortes e Dieter, que revezaram posição até Dieter levar a melhor foi intensa. A primeira janela da prova foi aberta na volta 42. Com 49 voltas de prova, Tiel de Andrade (companheiro de Franco Pasquale) assumiu a terceira colocação. Duas voltas depois José Ribeiro (companheiro de Nilson Ribeiro) assumiu a posição, sendo um dos grandes destaques da corrida. Na volta 61, uma quebra do disco de freio da dupla Ventre e Dieter fez com que saíssem da pista e acabassem na barreira de pneus, sendo a segunda posição herdada pelos Ribeiro, onde mais uma vez o safety car precisou ser acionado.

Aldoir Sette e Marcelo Campagnolo (MRX #07) enfrentaram problemas antes da metade da corrida, mas mesmo assim retornaram a pista e assumiram a liderança da P2, depois da quebra de seus principais adversários Kern e Sousa.

Na volta 88, um problema no Tubarão #05 tirou Andrade e Pasquale da terceira posição, com mais uma entrada do carro de segurança. O protótipo foi reparado no box e finalizou a prova na 11ª posição.

Resultado Final das Três Horas de Santa Cruz
1) Marcel Visconde/Ricardo Mauricio (Porsche #20 ‒ categoria GP1), 112 voltas em 3h00:25.278
2) Nilson Ribeiro/José Roberto Ribeiro (MRX #65 ‒ GP1), a 40.407
3) Emílio Padron/Fernando Fortes (MR18 #117 ‒ GP1), a 2 voltas
4) Daniel Claudino/Ian Ely (MCR #71 ‒ GP1), a 3 voltas
5) Marcello Sant’Anna/William Freire (Lamborghini #31 ‒ GP1), a 3 voltas
6) Henrique Assunção/Fernando Ohashi (MRX #75 ‒ P2), a 4 voltas
Melhor volta: 20-Marcel Visconde/Ricardo Mauricio (Porsche 911 GT3 R), 1:18.178, média de 162,6 km/h
Pole position: 20-Marcel Visconde/Ricardo Mauricio (Porsche 911 GT3 R), 1:17.049

MS2 Comunicação
Fotos: Dudu Leal/MS2 Comunicação


117 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.