http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Em 7º, Átila Abreu tem sua melhor posição de largada em Londrina pela Stock Car

“Há tempos não tinha uma emoção tão forte”, diz o piloto da Mobil Super Pioneer Racing sobre a volta que o colocou na etapa decisiva da classificação

Átila Abreu classificou o carro #51 da equipe Mobil Super Pioneer Racing em sétimo lugar no grid para a corrida da Londrina, quinta etapa da Stock Car que acontece neste domingo às 9h30. É a quarta vez que o piloto compete na pista paranaense e a que tem melhor posição de largada.

“Larguei duas vezes em oitavo na temporada e em ambas tive bons resultados, com o quinto lugar em São Paulo e o terceiro em Ribeirão na prova passada. Sabemos que a corrida em Londrina é longa e que a pista dificulta as ultrapassagens. Mas mantenho minha meta de brigar por um lugar no pódio”, declarou o piloto, quarto colocado na temporada da Stock Car.

O treino que definiu o grid para a corrida deste domingo foi turbulento para os dois carros da equipe Mobil Super Pioneer Racing. A 1min45s do término da primeira sessão, foi acionada a bandeira vermelha. Tanto o carro #51 quanto o #11, pilotado por Nonô Figueiredo, estavam muito próximos de encerrar seus giros mais rápidos no Q1.

“O Átila estava a 100 metros de linha de chegada e o Nonô a 5 segundos. E ambos vinham nas melhores voltas do treino. Foi uma pena aquela bandeira vermelha, mas são coisas de corrida”, observou o chefe da escuderia, Thiago Meneghel.

Os dois carros então tiveram que entrar nos boxes e sair em ritmo acelerado inclusive na volta de aquecimento. “Fiquei no fim da fila e acabei passando na linha de chegada para abrir minha volta rápida no limite”, narrou Átila, que foi o último piloto a abrir volta, um segundo antes da bandeira quadriculada encerrar o Q1. Ele registrou 1min10s723 e avançou para o Q2 em oitavo lugar.

“Há tempos eu não tinha uma emoção tão forte”, disse o piloto sobre sua passagem para a etapa decisiva do treino. Ele avançou ao Q2 em todas as etapas da temporada 2012 da principal categoria do automobilismo brasileiro.

Nonô também conseguiu concluir uma volta lançada, mas não foi tão veloz quanto na volta desperdiçada com a bandeira vermelha. “Na melhor volta eu vinha para o 12º ou 13º tempo. Mas vou acabar largando em 19º. Não é a posição que eu gostaria evidentemente. Temos que ser realistas e saber que é uma pista difícil de ultrapassar. Então o objetivo é brigar para chegar entre os dez.”

No Q2, com os pneus mais deteriorados que alguns dos concorrentes diretos, Átila registrou 1min10s652. “Como na sexta, meu carro se comportou melhor com pneus usados que com compostos novos e isso, claro, me deixa animado para a corrida”, acrescentou ele, prevendo um fator extra para complicar as ultrapassagens em Londrina.

“A regra do push aqui foi infeliz”, resumiu Átila, sobre a decisão dos organizadores de autorizar apenas 4 dos 8 usos do botão de ultrapassagem para os pilotos que lançaram mão do recurso na tomada de tempo (30 dos 32 do grid).

“Normalmente um uso é na largada e outro todo mundo guarda para o caso de uma relargada após safety car. Na prática, isso deixa apenas dois acionamentos para a corrida toda”, observou Meneghel.

Texto: Luís Ferrari – Imprensa – Átila Abreu (11) 3284.6101 e (11) 8666.8307
Imagens: Automobilismo em Foco (Fernando Peres Nunes) – (51) 9372-0606


1993 dias ago by in Automobilismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave A Response