http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Diego Faustino vence a quarta etapa do Moto 1000 GP em Cascavel

Piloto da Petronas Eurobike Team travou duelo intenso na pista paranaense para cruzar em primeiro a linha de chegada

Diferente das duas últimas etapas, a bandeira no lugar mais alto do pódio foi brasileira. Numa corrida empolgante ao público, Diego Faustino, da Petronas Eurobike Team, por apenas 34 milésimos, superou o argentino e líder do campeonato Luciano Ribodino, piloto da equipe Alex Barros Racing, praticamente na linha de chegada. Em terceiro ficou Danilo Lewis, da PRT / RC3 Brasil, numa corrida de superação.

Após a festa do pódio, os pilotos foram para a coletiva de imprensa, onde comentaram sobre a corrida. “Confesso que foi no braço mesmo. Cansei muito nas cinco últimas voltas, e contei com um erro dos meus adversários duas voltas antes do fim para assumir a ponta”, contou Faustino, logicamente satisfeita com o resultado final. “Para mim essa vitória dá uma nova dinâmica para o campeonato. A partir desta corrida (de Cascavel) que marca a metade do calendário, acredito que teremos condições de melhorar ainda mais”, explicou o piloto da Petronas, que atingiu a vice-liderança do Brasileiro de Motovelocidade, com 54 pontos conquistados.

A vitória de Diego Faustino o levou para o segundo lugar do campeonato

A vitória de Diego Faustino o levou para o segundo lugar do campeonato


Ribodino, ainda líder com 92 pontos após quatro etapas, disse que o segundo lugar foi importante, justamente por mantê-lo na ponta da tabela. “Claro que buscamos sempre a vitória. Mas a regularidade é fundamental”, disse. “Penso que foi uma grande corrida, tanto para nós, como para quem assistiu, porque foi bastante intensa”, comentou o argentino. Terceiro no final da GP 1000 em Cascavel, Danilo Lewis lembrou do fim de semana intenso. “Nos treinos, o (Diego) Pierluigi vinha forte, baixando os tempos, tanto que estabeleceu o novo recorde do traçado. Isso nos obrigou a procurar mais, ser mais agressivo. Foi intenso, mas penso que isso leva o campeonato a um nível maior”, relatou ele, que assumiu a terceira colocação da tabela, agora com 46 pontos.

A CORRIDA

Largando na pole-position, o argentino Diego Pierluigi, da JC Racing Team, enfrentou problemas logo na primeira curva. Um problema elétrico no controle de largada fez o piloto parar e desligar sua moto. Assim, ele perdeu tempo e levou uma volta dos demais competidores, tendo que fazer uma corrida de recuperação. O problema de Pieluigi levou Danilo Lewis para a liderança, com Ribodino e Faustino em seu encalço, num começo de corrida bastante movimentado.

Na sexta volta o argentino Luciano Ribodino, que largou na quarta colocação, tomou a ponta de Lewis, com Faustino, Miguel Praia e Lucas Barros disputando as primeiras colocações que ficariam intensas a partir da nona volta. Quando a corrida chegou à sua metade, num total de 22 voltas programadas, os primeiros retardatários começavam a aparecer para os três primeiros colocados. Nem mesmo esse contratempo tirou o ritmo forte da disputa. Assim, na décima quinta volta, Pierluigi quebrou o recorde de tempo em corridas, com o tempo de 1min02s899. Na volta seguinte, Faustino aproveitou uma falha de Ribodino e Lewis na curva do “S” de alta velocidade para assumir a ponta e permanecer assim até a chegada.

 O líder do campeonato Luciano Ribodino liderou a prova na maior parte do tempo mas terminou em segundo

O líder do campeonato Luciano Ribodino liderou a prova na maior parte do tempo mas terminou em segundo


Confira a classificação final da corrida deste domingo (25), no Autódromo Zilmar Beux em Cascavel, válida pela quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade:

1º) Diego Faustino (PR/Petronas Eurobike Team), BMW, 3mins24s795
2º) Luciano Ribodino (ARG/Alex Barros Racing), BMW, a 0s034
3º) Danilo Lewis (SP/Pitico Race), Kawasaki, a 0s789
4º) Miguel Praia (POR/Center Moto Racing Team), Honda, a 14s643
5º) Alan Douglas (SP/Pitico Race), Kawasaki, a 20s815
6º) Lucas Barros (SP/Alex Barros Racing), BMW, a 20s961
7º) Nico Ferreira (PR/HPN Racing Team), Kawasaki, a 22s438
8º) Wesley Gutierrez (PR/Motonil Motors), Kawasaki, a 34s681
9º) Alecsandre Grandi (SP/Team De Grandi-Bardahl), Honda, a 1 volta
10º) Diego Pierluigi (ARG/JC Racing Team), Kawasaki, a 1 volta
11º) Luiz Fittipaldi (DF/Motonil Motors), Kawasaki, a 1 volta
12º) Daniel Lenzi (PR/Grinjets SBK Racing), BMW, a 1 volta
13º) Marcos Salles, (PR, Team Fuel Racing/Mormaii), BMW, a 1 volta

A próxima etapa do Moto 1000 GP, válida pela quinta corrida do ano, das oito programadas na temporada, será em São Paulo, no Autódromo José nCarlos Pace, em Interlagos, no dia 22 de setembro. Todas as motocicletas do Moto 1000 GP utilizam como combustível a gasolina Petrobras Podium e como lubrificante o Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da BMW Motorrad e da Michelin, que fornece seus pneus de competição a todas as equipes. O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade tem o apoio de Beta Ferramentas, BMW Serviços Financeiros, Servitec, LeoVince, Shoei, Tutto Moto, HPN, Denko e Peterlongo.

Texto: Grelak Comunicação
Fotos: Equipe Sanderson


1492 dias ago by in Motociclismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave A Response