http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Com quarta vitória na temporada, francês conquista título brasileiro da GP 1000

Liderando GP Petrobras de ponta a ponta em Cascavel, Lussiana torna-se primeiro europeu a conquistar título no Moto 1000 GP

É de Matthieu Lussiana o título da categoria principal do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. O piloto francês da Petronas Alex Barros Racing, largando da pole position, comandou de ponta a ponta neste domingo (14) o GP Petrobras, oitava e última etapa da temporada do Moto 1000 GP, e garantiu o título da GP 1000, que fora conquistado pelo brasileiro Alan Douglas em 2011 e pelo argentino Luciano Ribodino em 2012 e em 2013.

9b22b182726da49106532bbf871bfedb_600

Na etapa final, Lussiana tinha como único adversário na luta pelo título o paranaense Wesley Gutierrez, da Motonil Motors-PDV Brasil, que terminou a corrida em segundo lugar e confirmou o vice-campeonato. O pódio contou com três pilotos argentinos: Diego Pierluigi, que terminou em terceiro, Ribodino, que cruzou a linha de chegada em quarto e ficou em terceiro na pontuação final, e Marcos Solorza, que cumpriu sua quarta participação no Moto 1000 GP.

Foi a quarta vitória de Lussiana na temporada de 2014. Ele ganhou a primeira e a sétima etapa, ambas disputadas em Santa Cruz do Sul (RS), a quinta, em Goiânia (GO), e a prova decisiva, em Cascavel. Gutierrez venceu a quarta, também em Cascavel, e a sexta, em Curitiba. O norte-americano Danny Eslick ganhou a segunda corrida do ano, em São Paulo (SP), e Pierluigi ficou com a vitória na terceira etapa, realizada em Brasília (DF).

0ed1657196164cd92a6ec66e81c10255_600

“Tive um começo de corrida perfeito, consegui largar e abrir vantagem com um pouco de esforço. Depois administrei a corrida, eu não poderia arriscar sofrer uma queda”, comentou Lussiana. “Vi que o Wesley se recuperou no fim e se aproximou, mas só faltavam duas voltas para a corrida terminar. Ganhar o título do Campeonato Brasileiro é ótimo, o povo daqui é muito acolhedor, até já me sinto em casa aqui. Só tenho a agradecer a todos”, continuou.

Gutierrez, que dependia da vitória e de um quarto lugar do francês para ser campeão, comemorou o segundo lugar. “Dei o máximo para recompensar a minha equipe pelo excelente trabalho de todos durante o ano e para retribuir ao pessoal do Paraná que veio aqui torcer por mim. O campeonato é construído em várias etapas, houve etapa em que eu caí, deixei de pontuar. O lado bom é que estive sempre entre os primeiros, fomos competitivos”, avaliou.

A CORRIDA
Matthieu Lussiana, valendo-se da pole position, manteve a liderança após a largada, pressionado por Diego Pierluigi. Luciano Ribodino perdeu o terceiro lugar para Marco Solorza, que largou em sexto. Wesley Gutierrez, único adversário do francês na luta pelo título, completou a primeira volta da corrida em quarto, depois de ultrapassar Ribodino. Pierluigi completou a primeira volta a 0s156 do líder da corrida.

Depois de duas voltas, enquanto o argentino estava a 0s233 do francês, Gutierrez assumia o terceiro lugar e buscava aproximação em relação aos dois líderes, que já administravam mais de dois segundos de margem – Ribodino, ainda na segunda volta, também superou o compatriota Solorza, que caía para o quinto lugar. A vantagem manteve-se na casa dos dois décimos de segundo na terceira volta. Na quarta, subiu para três.

No complemento da quinta volta, a disputa pelo sétimo lugar trazia em um único pelotão, separados por menos de dois segundos, oito pilotos – Nick Iatauro, Nico Ferreira, Miguel Praia, Lucas Barros, o estreante Martin Solorza, Pierre Chofard e Nassr Al Malki. Lussiana, a essa altura, fazia sua vantagem sobre Pierluigi superar a casa de um segundo e meio. Gutierrez, em terceiro, já estava a quase cinco segundos do duelo principal.

Chofard, no complemento da oitava volta, perdeu momentaneamente o controle da moto do Team Suzuki-PRT, na tentativa de evitar um toque com a moto de Solorza. A experiência na motovelocidade foi suficiente para o paulista evitar a queda, embora ele tenha perdido contato com o pelotão intermediário – na volta seguinte, Chofard, que não competia no Moto 1000 GP desde o fim da temporada de 2011, estacionou nos boxes e abandonou a corrida.

O GP Petrobras chegou à segunda metade com as primeiras posições estabelecidas. O duelo mais acirrado no primeiro pelotão envolvia Gutierrez e Ribodino, separados por menos de meio segundo. Lussiana, a essa altura, já administrava sua vantagem de mais de três segundos sobre Pierluigi, que tinha cerca de um segundo e meio à frente do vice-líder do campeonato. Foi quando Gutierrez assumiu um ritmo mais forte que o do argentino.

9005b60a7a07da64091755bf68e09936

Na 16ª das 23 voltas da corrida, a diferença entre Pierluigi e Gutierrez caiu a meio segundo. Duas voltas depois os dois já assumiam linhas alternadas de traçado em disputa pelo segundo lugar. A ultrapassagem do brasileiro foi consumada na 19ª volta, quando, ganhando velocidade na curva do Bacião, superou a Kawasaki do argentino na primeira tangência do S do Saul. Faltavam quatro voltas para o fim e Lussiana tinha 3s626 de vantagem.

A diferença entre os dois candidatos ao título principal do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade caiu a 3s093 na volta número 20, a 2s633 na 21ª e a 1s629 na 22ª, quando abriram a última volta da temporada. A quarta vitória do francês foi confirmada com 1s016 de margem. Pierluigi, Ribodino e Solorza completaram as cinco primeiras posições. Lussiana levou as bandeiras do Brasil e da França pela pista na volta de comemoração.

MOTO 1000 GP – GP PETROBRAS – CATEGORIA GP 1000
(Classificação final em Cascavel após 23 voltas)

1º) Matthieu Lussiana (FRA/BMW), Petronas Alex Barros Racing, 24min32s535
2º) Wesley Gutierrez (PR/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil, a 1s016
3º) Diego Pierluigi (ARG/Kawasaki), JC Racing Team, a 6s022
4º) Luciano Ribodino (ARG/Kawasaki), Aclat Racing, a 8s416
5º) Marco Solorza (ARG/Kawawaki), Solorza Competition, a 12s662
6º) Danilo Lewis (SP/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil, a 13s580
7º) Miguel Praia (POR/Honda), Center Moto Racing Team, a 27s512
8º) Nico Ferreira (ESP/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil, a 29s358
9º) Martin Solorza (ARG/Kawawaki), Solorza Competition, a 30s963
10º) Lucas Barros (SP/BMW), Petronas Alex Barros Racing, a 35s418
11º) Nick Iatauro (SP/Suzuki), Team Suzuki-PRT, a 43s096
12º) Nasser Al Malki (QAT/Kawasaki), MR Lekhwiya Racing Team, a 46s420
13º) Luís Fittipaldi (DF/Kawasaki), JC Racing Team, a 1min00s900
14º) Sergio Fasci (ARG/Yamaha), MGBikes Yamaha Racing, a 1 volta
NÃO COMPLETOU
Pierre Chofard (SP/Suzuki), Team Suzuki-PRT, a 16 voltas
NÃO LARGARAM
Marcos Salles (PR/Honda), Competizione Racing Team
Diego Faustino (SP/Suzuki), Team Suzuki-PRT
Melhor volta: Lussiana, na 5ª, 1min02s773, média de 175,375 km/h

CLASSIFICAÇÃO
A classificação final da GP 1000 no Moto 1000 GP, já considerado o descarte obrigatório de um resultado por piloto, foi a seguinte: 1º) Lussiana, 147 pontos; 2º) Gutierrez, 131; 3º) Ribodino, 97; 4º) Praia, 93; 5º) Lewis, 92; 6º) Faustino, 55; 7º) Pierluigi, 46; 8º) Ferreira, 44; 9º) Andreghetto, 39; 10º) Douglas, 29; 11º) Solorza, 27; 12º) L. Barros, 24; 13º) Fasci, 22; 14º) Salles, 21; 15º) Moura e Al Malki, 19; 17º) Fittipaldi, 17; 18º) Iatauro, 15; 19º) Zerbo, 13; 20º) Thiriet, 12; 21º) Figueiredo, 11; 22º) Pretel, 8; 23º) Andric, 7; 24º) Lenzi, 4; 25º) De Grandi, 3; 26º) A. Barros, 2; 27º) Luvizotto e Eslick, 1.

Texto: Grelak Comunicação – (45) 3037-6667
Imagens: Equipe Sanderson


976 dias ago by in Motociclismo , Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.