http://farm9.staticflickr.com/8121/8656013157_e45c9229ab_o.pnghttp://automobilismoemfoco.com.br/wp-content/midia/loja-de-rolamentos-novo-hamburgo.gifhttps://c1.staticflickr.com/1/319/32630170275_2dfd0d1bae_o.png

Com asa móvel, World Series dá “gostinho de Fórmula 1″ aos pilotos

DRS é atração do carro de 2012 e impressiona Yann Cunha; “Muda muito nas retas, é fantástico”, diz piloto brasileiro da Pons, que também exalta os 530 HP do novo motor 

O piloto brasileiro Yann Cunha ganhou um empurrão bem grande na temporada de 2012; falando em números, de exatos 330 HP. Essa é a diferença de potência do carro da Fórmula 3, com o qual competiu até o ano passado, para o da World Series (como é conhecida a F-Renault 3.5 no Brasil), categoria que passa a representar nos próximos dois anos.

Campeão sul-americano de F-3 em 2010, Yann sentiu na última semana o primeiro gostinho do equipamento renovado da World Series, dotado de um novo motor, com 530 HP, e do DRS (a popular asa móvel, implantada recentemente na Fórmula 1), ficando surpreso com tamanha tecnologia e velocidade da nova máquina. “O que mais me impressiona é o motor novo, que anda muito, e os freios, iguais ao da GP2″, analisa.

Brasiliense faz primeiro ano na categoria

“O sistema da asa móvel eu achei fantástico, pois muda muito nas retas! Só não gostei do fato de ter de ficar segurando o botão para ele funcionar, pois, se soltar, ele volta ao normal”, explica Yann, que, por conta de seu projeto a longo prazo na categoria, correndo pela equipe Pons (da lenda espanhola do motociclismo Sito Pons), pôde se preocupar em conhecer o carro nos mínimos detalhes, sem se preocupar em estabelecer tempos rápidos.

“Não pensamos em tempo de pista, mas sim em aprender tudo o que tinha de saber de forma tranquila e, também, resolver os problemas do carro, que era novo e apresentou alguns imprevistos no primeiro dia, o que nos fez perder um bom tempo de pista”, analisa Yann, que, mesmo com o imprevisto, conseguiu completar 102 voltas nos dois dias de testes em Paul Ricard.

“No segundo dia conseguimos aproveitar e fomos atrás dos acertos. Como não tenho muita experiência com esse carro, não consegui acertar minha volta do pneu e não virei um tempo bom, mas, no geral, valeu a pena, para voltar a treinar e me acostumar com um carro mais forte do que estou acostumado”, completa o piloto, que sentirá novamente o gosto de guiar o carro da World Series nos dias 3 e 4 de abril, quando acontecem testes coletivos no circuito de Barcelona, na Espanha.

Confira o calendário completo da World Series para 2012, que terá início nos dias 5 e 6 de maio, na Espanha; o canal por assinatura Bandsports exibirá o campeonato em sua programação:

5 e 6 de maio: Aragón (Espanha)
26 e 27 de maio: Mônaco
2 e 3 de junho: Spa (Bélgica)
30 de junho e 1 de julho: Nurburgring (Alemanha)
14 e 15 de julho: Moscou (Rússia)
25 e 26 de agosto: A definir
15 e 16 de setembro: Hungaroring (Hungria)
29 e 30 de setembro: Paul Ricard (França)
20 e 21 de outubro: Barcelona (Espanha)

Texto: MS2 Comunicação
Fotos: Renault Sport


2094 dias ago by in Notícias | You can follow any responses to this entry through the RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave A Response